2 de junho de 2017

SECRETÁRIA DE SAÚDE DE CUITÉ FOGE DE PRESTAÇÃO DE CONTAS NA CÂMARA MUNICIPAL E PREFEITO TENTA FALAR POR ELA

A secretária da Saúde, Moniely Alencar, de Cuité, município localizado na microrregião do Curimataú Ocidental paraibano, não compareceu na noite desta quinta-feira (1º) a Audiência Pública que ela mesma solicitou à Câmara Municipal para apresentar prestação de contas da pasta que comanda referente ao período de Janeiro/Abril de 2017.
A gestora é a mesma que deixou de prestar contas no mês de Fevereiro, referentes ao quadrimestre Setembro/Dezembro de 2016, por falta de coragem de enfrentar e responder perguntas dos vereadores.
De acordo com vereadores, dessa vez, o fato curioso que chamou atenção dos parlamentares foi a tentativa do prefeito, Charles Camaraense (PSL), e do vice, Eliú Pessoa (PP), marido da secretária, de prestar contas no lugar da gestora da Saúde municipal contrariando, inclusive, a Lei Complementar Nº. 141/2012 que obriga o próprio gestor local do Sistema Único de Saúde (SUS) a ser o responsável pela apresentação dos dados financeiros oficiais.
A secretária Moniely Alencar, além de não comparecer à Audiência Pública por ela solicitada, sequer apresentou aos presentes na Câmara Municipal quaisquer justificativas pela ausência.


Os vereadores de oposição Renan Furtado, Geraldo Leite (presidente), Max Venâncio, Jeferson Ferreira, Laelson Borges e Evanuel Moreira, divulgaram um vídeo nas redes sociais lamentando a falta de compromisso e a forma desrespeitosa com que a secretária da Saúde tratou a população bem como a todos que fazem a Casa Legislativa do município de Cuité.
Ou seja, ela pediu a realização da Sessão, mas, não teve coragem de enfrentar as perguntas dos vereadores.
Dessa forma, a Audiência Pública, que daria espaço para a obrigatória prestação de contas da pasta de Saúde do Município, não foi realizada e a secretária deixou de cumprir sua obrigação, demonstrando a falta de transparência com a gestão pública.
Nenhuma outra autoridade, evidentemente, não poderia falar, e muito menos apresentar uma prestação de contas no lugar do gestor da pasta, conforme fica claro na lei complementar N° 141/2012.

 Fonte: Portal do Litoral PB

Arquivo do blog