17 de julho de 2015

CUITÉ, HISTÓRICA E GRACIOSA.

Cuité, Histórica e Graciosa Na data de 17 de julho de 2015, comemora-se o aniversário de fundação da cidade de Cuité, 247 anos nesta feita, para muitos uma simples data, um dia qualquer do mês, para outros, sinônimo de festa, alegria, história.

 Do mesmo modo que esta data é bem rememorada por alguns e outros não, também queremos mostrar que a cidade de Cuité igualmente a data citada, tem a mesma sorte.

Muitos podem pensar que não seja a melhor cidade para se viver, que seja a cidade que não tem as mais belas paisagens, ou os mais belos cartões postais do país, a exemplo do Corcovado no Rio de Janeiro, que aqui não se tem grandes personalidades, como podemos bem citar Tiradentes em Minas Gerais ou até mesmo João Pessoa aqui no Estado, não se tem monumentos ou muitos acontecimentos que façam com que nos alegremos ou nos orgulhemos de sermos filhos desta terra.

Pois bem, em meio a tantas lamentações ou murmúrios que se possa ter por alguns conterrâneos em relação a nossa cidade, mostraremos a seguir alguns tópicos que esperamos surtir algum efeito positivo para quem os ler e assim que possam repensar melhor quando for se referir a Cuité.


Não esperamos é claro que o caro leitor não queira comparar a jovem cidade de Cuité, que tem apenas 78 anos de vida ou mesmo os seus 247 anos de fundação, com muitos outros municípios ou capitais deste país, pois sim, esta se comparada a alguns destes, tem muito menos idade, só é partirmos do principio de nossa colonização em 1500, só aí já se vão 515 anos, então, como citado anteriormente não se espera que o nosso leitor queira que esta tenha um arcabouço político, cultural, religioso e social de cidades ou capitais brasileiras espalhadas por este imenso país. Mas contudo, queremos mostrar que apesar de nova, esta tem o que mostrar e o que os seus filhos se orgulharem, apesar de ter muito o que melhorar, como toda e qualquer cidade.

Não iremos pois citar nomes, fatos e/ou acontecimentos, para que assim não possamos cair no pecado de esquecer ou deixar de fora alguém ou algo que fez e continua fazendo parte da formação deste município, mas que cada um, que cada família, que cada cidadão que estiver lendo este texto possa se sentir agraciado e contemplado como parte integrante desta, por que não dizer imensa família que responde por sobrenome cuiteense. 

Não temos a vista do “Pão de Açúcar”, mais podemos nos orgulhar das nossas lindas paisagens naturais, a exemplo das inúmeras cachoeiras espalhadas pela zona rural, o Olho D’água da Bica com sua fonte incessante, a vista serrana ao cair da tarde próximo ao nome Cuité, caso você ainda não viu, está perdendo o lindo espetáculo que se repete a cada cair da tarde. Em nossa cidade, podem-se até afirmar que não se tenha filhos ilustres que engrandeceram ou engrandecem o nome da mesma a nível nacional. 

Mas porém poderíamos aqui listar um inúmero de pessoas, alguns podem até afirmar que não tenha a mesma importância ou relevância de um D. Pedro I ou de um Tiradentes, mas digo que estes tiveram a importância significativa para a formação e o engrandecimento deste município, enfim que cada um de nós que estamos hoje nesta data possamos estar incluídos nesta lista, como participantes diretos da história e do engrandecimento, dentre outros aspectos, do social, político e cultural de Cuité.

Portanto que não só na data de 17 de julho, mas em toda e qualquer data, aonde quer que estejamos, possamos sim, sem nenhum desmerecimento ou medo, mas como cidadãos e filhos desta terra que têm direitos e deveres a cumprir, ver a realidade e os possíveis melhoramentos que a cidade possa almejar, mas também devemos ter a consciência de que esta terra é uma terra de promissão, que devemos ter um afeto especial pela mesma, como o hino municipal nos pede, que tenhamos um amor inexorável, pois por mais que nos afastemos da mesma, seja por quais tiveram sidos os motivos e situações que fizeram com que moremos fora dela, sempre esta será aonde deixamos as nossas muitas recordações, os inúmeros sentimentos, as mais remotas lembranças, os inesquecíveis amores e as mais avassaladoras paixões.

Cuité sempre estará guardada em nossa memória, no coração de cada filho seu, Cuité sempre será o mundo particular de cada um que conviveu nela, apesar de muitos já terem andado meio mundo a fora, mas sempre será o local de sua vida, de seus sonhos, seus anseios, enfim o lugar que está encravado a sua história. Parabéns a Cuité e a todos os cuiteenses. “História não é tudo, mas tudo é ou será história.”


Crisólito Marques. Historiador. Cuité, 17 de julho de 2015.




Arquivo do blog