7 de dezembro de 2012

Última obra de Niemeyer será inaugurada na próxima segunda em Campina Grande-PB



83ff467a4662b99f5af79dac3e9e688c.jpg
Em Campina Grande, Museu dos Três Pandeiros será a primeira obra assinada pelo arquiteto
Fotos: Divulgação

Vanessa SilvaDo NE10/ Paraíba
A última obra do arquiteto Oscar Niemeyer concluída antes de sua morte será inaugurada na próxima segunda-feira (10), em Campina Grande, Agreste da Paraíba. O Museu de Arte Popular da Paraíba, batizado de Museu dos Três Pandeiros, é a primeira obra com assinatura do arquiteto na cidade. Outros dois projetos dele ainda devem ser construídos na Rainha da Borborema: o Centro Administrativo da Prefeitura Municipal e a Biblioteca Central da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Ambos tem previsão de início das obras em 2013.

Segundo a reitoria da UEPB, que é responsável pela execução do projeto, o Museu dos Três Pandeiros custou aproximadamente R$ 10,5 milhões. A obra é composta por 126 painéis de vidro espelhado, que por fora refletem o Açude Velho, principal cartão postal de Campina Grande. O local tem como objetivo abrigar elementos da arte e cultura nordestina e fica numa das áreas principais da cidade.

Com um acervo permanente e outro temporário, o museu vai expor trabalhos dos mais renomados artistas paraibanos, como Jackson do Pandeiro, Elba Ramalho, Sivuca, Marinês, entre outros. Cada um dos pandeiros corresponde a um espaço da obra, que conta com uma sala de exposição de artesanato, outra de música e outra com literatura de cordel, cantoria e xilogravuras.

NIEMEYER NA PARAÍBA - Além do Museu dos Três Pandeiros e dos dois projetos que ainda serão erguidos em Campina Grande, a Paraíba possui uma obra já concluída de Niemeyer. Localizada na capital João Pessoa, a Estação Cabo Branco de Ciência, Tecnologia e Arte foi inaugurada em julho de 2008. 

http://www2.uol.com.br/JC/_ne10/cotidiano/foto/cabobranco470.jpg

Orçado em R$ 33,5 milhões, o espaço possui 8.571 m² de área construída e fica próximo à barreira do Cabo Branco, um dos principais pontos turísticos da capital paraibana. O edifício foi construído sobre um espelho d'água e possui três andares. No primeiro pavimento, há espaço para exposições permanentes e temporárias. No segundo piso, além da área para exposições, há também uma sala de audiovisual. No terceiro andar fica o espaço panorâmico, também conhecido por mirante, onde o visitante tem uma visão da orla marítima da cidade de João Pessoa.

A estação possui ainda um auditório com capacidade para 501 pessoas e duas salas para convenções com 200 lugares cada. Tem anfiteatro para 300 pessoas, espaço para lojas e lanchonetes e um estacionamento com capacidade para receber 198 veículos.

http://www2.uol.com.br/JC/_ne10/cotidiano/foto/cabobranco2_470.jpg

LUTO - O arquiteto Oscar Niemeyer, de 104 anos, morreu no Rio de Janeiro na noite dessa quarta-feira (5). Ele estava internado desde 2 de novembro no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul da capital carioca. Reconhecido internacionalmente por suas obras, Niemeyer completaria 105 anos em 15 de dezembro. 

Pela manhã, o boletim médico informava que o estado de saúde do arquiteto havia piorado e era considerado grave. Ainda segundo o hospital, Niemeyer respirava com a ajuda de aparelhos e encontrava-se sedado por causa de uma infecção respiratória. A morte dele foi confirmada às 21h55.

Nesta quinta-feira (6), as bandeiras do Brasil, da Paraíba e de João Pessoa presentes na entrada da Estação Cabo Branco foram mantidas a meio mastro, em sinal de luto pela morte do arquiteto. O prefeito da capital paraibana, Luciano Agra, decretou luto oficial de três dias. “Oscar se destacou dos demais pela ousadia que imprimia às suas obras. Tratava-se de um homem de convicções políticas, um cidadão do mundo, engajado na luta pelos oprimidos", afirmou o prefeito.

Arquivo do blog