27 de novembro de 2012

Pela primeira vez na história do Brasil uma mulher conquistou um dos postos mais altos da hierarquia militar




Uma mulher conquistou um dos postos mais altos da hierarquia militar, pela primeira vez na história do Brasil.
Foi uma cerimônia simples e rápida, uma troca de patentes. A novidade foi a Marinha bater continência para a primeira oficial-general do Brasil. A Capitã-de-Mar-e-Guerra Dalva Maria Carvalho Mendes foi promovida a contra-almirante, na última sexta-feira (23), pela presidente Dilma Rousseff. Trata-se do primeiro posto na escala dos almirantes.
A Marinha é pioneira na admissão de mulheres, entre as Forças Armadas, e a almirante Dalva é da primeira turma do Corpo Feminino de Oficiais.
No grupo que se formou em 1981, Dalva tinha 25 anos na época e já era médica. Nesse mesmo ano, começou a trabalhar no Hospital Naval Marcílio Dias, no Rio. Em 2007, foi promovida a vice-diretora.
São 31 anos de carreira na Marinha, sempre como médica, em cargos técnicos e administrativos. Sua atividade mais recente foi a direção de uma unidade ambulatorial. O próximo passo será um posto na Escola Superior de Guerra.
Hoje Dalva entrou para a história e não disfarçou a satisfação.
“É como se eu tivesse renovando os votos de casamento com a Marinha. Aquela noiva ansiosa, feliz, emocionada”, define a almirante da Marinha.
Segundo Dalva, o que traz uma mulher para esse posto de comando é a cordialidade e o respeito. “Nós somos agregadores de um modo geral”, diz.
Na fila dos cumprimentos, farta distribuição de continências e apertos de mão. A filha de Dalva, tenente Luciana, também obedeceu ao protocolo, mas o irmão fugiu à regra. Partiu para um forte abraço e o coração da mãe-almirante não resistiu de emoção.

Arquivo do blog