24 de março de 2012

Selo UNICEF Edição 2009 - 2012 na reta final

 
Não há dúvidas de que os municípios que participam da iniciativa Selo UNICEF Município Aprovado saem vitoriosos: independente de receberem a certificação ou não, o processo de participação em uma edição é tão rico e tão intenso que deixa aprendizados na população – adulta e infanto-juvenil - e nos gestores, e reflete na política pública destinada a crianças e adolescentes. O Selo UNICEF Município Aprovado tem como objetivo mobilizar os gestores municipais, técnicos, crianças, adolescentes e outros setores da sociedade em torno dos direitos humanos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, contribuindo para a implementação de políticas públicas voltadas para a população infanto-juvenil. Além de mobilizar, o Selo prevê atividades de capacitação, comunicação, monitoramento, avaliação de indicadores sociais e o reconhecimento público dos municípios que mais se destacam na garantia de direitos humanos das crianças e adolescentes. Após três anos do lançamento da atual edição, estamos nos aproximando da reta final da Edição 2009 - 2012. Ao longo desse caminho - marcado por conquistas, superações, desafios, aprendizados – alguns municípios não seguiram na competição. Entre essas razões está a não realização de requisitos da metodologia do Selo, a exemplo do 1º Fórum e da solicitação de visita do mediador para o 2º Fórum – a ser realizado ainda este semestre. O Semiárido Brasileiro (SAB) iniciou esta edição com 1266 municípios inscritos, dos quais 1028 realizaram o 1º Fórum e continuaram na disputa. Destes, mais de 850 solicitaram a presença do mediador do Selo para o 2º Fórum, ou seja, continuam concorrendo ao Selo. Até o final deste ano o projeto ainda vai gerar muito movimento nos municípios e para os organizadores. E lembramos que o trabalho dos municípios não se encerra a cada edição e muito menos com a certificação. Ao contrário: vencer uma edição do Selo UNICEF reforça nos municípios a necessidade de continuar trabalhando para que cada um de seus meninos e meninas vivam com plenitude e dignidade, tendo seus direitos respeitados e efetivados. Confira abaixo a relação dos municípios do Curimataú que continuam participando:



Arquivo do blog