24 de janeiro de 2012

Cuité 75 anos de história, lutas e vitórias

“Cuité, Cuité idolatrado, és bem a terra da promissão”...











Inicio este texto citando parte do hino da cidade de cuité que foi composto por Nelson Mamede da Fonseca no ano de 1936 que em seu refrão almejava que Cuité fosse uma Canaã prometida por Deus a Abraão, terra que emana leite e mel.
Hoje, ao completar 75 anos de emancipação política vemos que esta terra tem mesmo o dom de ser hospitaleira e cordial com todos que a ela se encontram pelos mais diferentes motivos, mesmo com suas limitações e problemas que são comuns em centenas de cidades espalhadas Brasil a fora, uma cidade jovem, se comparada a outras que já completaram seu centenário ou até mais, porém, encontramos em seus munícipes uma motivação impar de sempre cultivar sua história e manter viva as suas raízes, sempre de olho no futuro, almejando sempre novas conquistas e melhores dias no seu sublime torrão.
Uma terra que não guarda a  sua história, sua cultura, se torna um território e um povo sem identidade, sem raízes, sem base historiográfica, mas contudo, apesar de alguns avanços que a cidade está aos poucos ganhando novos ares em todos os quatro cantos de se seus 758 km², esta é uma terra que não deixa esquecer alguns fatos, locais e personagens que fizeram e fazem a sua rica história.
Poderemos aqui citar muitos personagens e acontecimentos que engrandeceram e ainda engrandecem esta cidade, a exemplo dos banhos de fim de tarde no olho d’água da bica, dos carnavais no antigo Cuité Clube, das vaquejadas no parque, onde hoje está o bairro Antonio Mariz, dos pastoris apresentados no largo da Igreja Matriz, filmes dos mais variados no Cine Atlas; Cuité, grande produtor de sisal (agave), e algodão; Cuité da Praça  do coreto, com seus banquinhos e luminárias típico do inicio do século XX, dentre muitos outros pontos do nosso passado que aqui não vieram a tona no limiar da memória, mas que foram com certeza importantíssimos para o crescimento deste município.
Além de lembrar do passado o seu povo também pressa pelos dias atuais, fazendo pedidos para que o futuro seja ainda mais animador e glorioso, pois é através de instituições, pessoas e obras que Cuité está andando em frente rumo a dias cada vez mais brilhantes. Esta cidade está de portas abertas para todos que queiram nela morar, repousar, trabalhar, visitar e consequentemente aprender a amá-la, como uma mãe que sempre está atenta a todos os seus filhos, Cuité sempre esteve e sempre estará disposta a acolher a todos indistintamente de cor, raça, etnia, credo ou qualquer outro tipo de distinção.
Portanto, é neste dia que se comemora 75 anos de sua emancipação política que Cuité vem parabenizar todos que fazem e continuam a fazer a história deste município, um pequeno lugar no mundo, mas que para muitos é o seu próprio mundo e que sem ele não poderiam viver e para tantos, que estão distantes dele e que nesta data queriam está nele. Parabéns... que venha mais e mais anos de vida para Cuité e todos nós.




Coluna de Crisólito Marques, pesquisado,, historiador, formado pela
Universidade Estadual da Paraíba

Arquivo do blog