18 de novembro de 2011

Bolsa Família na gestação e amamentação


O Gestor do Bolsa Família, Jefferson Souto, reuniu na última quarta-feira, no Teatro Municipal, as gestantes e enfermeiras para falar sobre o Bolsa Gestante, na ocasião a Coordenadora do Sivan, Neyre Brainer e a Coordenadora do CRAS, Euneide Medeiros também fizeram suas considerações.

O Bolsa Família, programa assitencial do Governo e ligado ao Fome Zero, passará a incluir benefícios de R$ 32 mensais a determinadas mulheres durante a gestação e amamentação do filho. 




O benefício poderá durar até 15 meses, sendo 9 meses durante a gestação e 6 meses após o bebê nascer, período de amamentação. 

A medida entra em vigor em novembro de 2011, conforme anunciou a Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello.




Para ser inserida no Bolsa Família, a mulher grávida, entretanto, precisa se enquadrar nos critérios estabelecidos pelo programa.

O ganho não pode ser superior a R$ 140 por membro da família. Ela só pode ter no máximo 4 filhos com até 15 anos de idade. Os R$ 32 concedidos pelo Governo serão mantidos mesmo em caso de múltiplos. 




O benefício passará a ser contado quando o Sistema Único de Saúde (SUS) for informado sobre a gravidez. O auxílio para a fase de amamentação será de 6 meses, que será pago somente a partir do registro do recém-nascido.




A inclusão de gestantes e nutrizes (mães no período de amamentação) visa, segundo o Governo, oferecer mais nutrição à criança nesta fase tão importante da vida, oferecendo melhor desenvolvimento em todos os aspectos a crianças de famílias de extrema pobreza.




Uma vez tendo a mãe exclusivamente para o cuidado e amamentação da criança, o pequeno tem mais chances de ter uma vida mais saudável, com condições de ser melhor alimentado após a gravidez. 



Arquivo do blog