2 de agosto de 2011

Campanha da Secretaria de Saúde do Estado está com atividades de divulgação na mídia sobre aleitamento e a necessidade de doação do leite materno




As diferentes vias de comunicação devem ser utilizadas para dar informações essenciais sobre a prática e a importância do aleitamento natural e sobre os riscos dos leites artificiais e uso de chupetas e mamadeiras nos primeiros anos de vida.
“Esse marketing social é importante para aumentar os índices de aleitamento materno no país e reduzir a desnutrição infantil, a morbidade, principalmente por infecções gastrintestinais, a mortalidade infantil, garantindo mais saúde e melhor qualidade de vida para as crianças” destacou a Diretora do Centro Estadual de Referência para Bancos de Leite Humano Anita Cabral, Thaise Ribeiro.
Homenagens e novos bancos – Durante o evento, 20 mães que são doadoras de leite serão homenageadas. O evento contará com a presença da primeira dama, Pâmela Bório, que será homenageada como madrinha da amamentação do Estado da Paraíba. Durante a semana serão inaugurados quatro bancos de leite nas cidades de Itabaiana, Bonito de Santa Fé, Solânea e Santa Luzia.
Mobilização mundial – A Semana Mundial de Aleitamento Materno (Sman) acontece anualmente em agosto, em cerca de 120 países. “É uma mobilização que ocorre mundialmente para promoção e divulgação do aleitamento materno”, explica Thaise Ribeiro.
Na Paraíba, o Banco de Leite Humano Anita Cabral, que funciona na Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, foi certificado pelo Ministério da Saúde como o Centro de Referência Estadual para Bancos de Leite Humano. Atualmente, o Estado conta com seis bancos de leite e 11 postos de coleta, além de 200 doadoras que fornecem, em média, 300 litros por mês.
A rede estadual pretende aumentar em 300% esse número para atender a demanda dos bebês da UTI neonatal do estado, bem como dos bebês que não podem sugar diretamente o leite no peito.
O Banco de Leite Humano é um serviço especializado, responsável pela promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e execução de atividades de coleta do leite excedente produzido pela mãe doadora, seu processamento, controle de qualidade e distribuição.
A campanha objetiva divulgar em todo o mundo, amplamente as vantagens e a importância da amamentação para a saúde da mãe e da criança e sensibilizar sobre a importância da promoção, proteção e apoio ao aleitamento natural. “Desse modo, as mães podem ser ajudadas e aconselhadas, desfazendo mitos, prevenindo e ou tratando as complicações que podem prejudicar a amamentação, e, sobretudo, contribuindo para aumentar a autoconfiança das mães, condição básica para o sucesso da amamentação”, destacou Thaise Ribeiro.
Alimento completo – O leite materno é completo, então até os 6 meses o bebê não precisa de nenhum outro alimento (chá, suco, água ou outro leite). Depois dos 6 meses, a amamentação deverá ser complementada com outros alimentos. A mãe pode continuar amamentando até 2 anos ou mais.

Arquivo do blog