11 de agosto de 2011

11 de agosto - Dia do estudante (3 textos para refletir)



Primeiro: ESTUDANTE  RICO E ESTUDANTE POBRE

Para apontar o lápis: o rico escolhe a cor do apontador, o pobre pede emprestado qualquer um.
Para chegar à escola: o rico é levado de veículo próprio (moto, carro), o pobre corre para perto do caminho para não perder o pau-de-arara.
Na hora do recreio: o rico abre a carteira e pensa sobre o que escolher para lanchar, o pobre sai antes de tocar para pegar o início da fila da comida do governo.
No tempo de frio: o rico tem calça quente e casaco padronizado, o pobre padroniza o revezamento entre irmãos o(s) casaco(s) que eles têm.
Na hora da prova de vestibular: o rico faz o que decorou, o pobre o que aprendeu (cada um com suas ressalvas)
Na inteligência: o rico tem conhecimento, o pobre também...
As diferenças são materiais: no intelectual somos todos iguais, claro com oportunidades diferentes.
Conheço rico pobre em educação e pobre, rico, PHD em educação
(Autor: Israel Araújo)

Dois: PEQUENA ORAÇÃO DO ESTUDANTE

Meu Deus estou aqui para lhe pedir umas coisinhas:
1º Para construir uma nova sala de aula (compartilhar com mais 49 colegas uma mesma sala é fogo...)
2º Para desistressar meu professor (chega correndo e sai voando para outra escola, consiga um aumentinho para ele ficar só conosco?)
3º Para construir o ginásio de nossa escola (não agüentamos mais levar sol na cabeça quando inventamos um mirim)
4º para nos dar paciência para irmos guardando, pois quando terminar o ensino médio parece que temos que agüentar uns três ou quatro anos sem entrar na universidade (a ficha cai somente após algumas desafios pós terceiro ano).
Assim Senhor, dê um toque aos político para pelo menos colocar no nosso currículo um ensino profissional ou pelo menos vê se a escola aprende a despertar nossos valores, digo isso, porque meu irmão falou que se ele tivesse compreendido antes o que queria na vida tudo, seria diferente: não estaria chorando pelo leite derramado.
Senhor, não sei qual leite é esse (de vaca, cabra, ou rosas), nem quem o derramou, mas se for necessário que eu o carregue, por favor mande alguém me ensinar direitinho o caminho para não derramá-lo, ok? Amém!
(Autor: Israel Araújo)

Três: ALFABETO DO ESTUDANTE

Ame os estudos. Neles está parte do seu sucesso na vida.
Boas notas dependem de aplicação e amor aos estudos.
Crie o Bom hábito da leitura. Isso enriquece sua personalidade.
Desistir, nunca. As dificuldades não devem enfraquecer suas esperanças.
Evite críticas e promova a amizade e a união.
Faça seus talentos frutificarem. O Brasil precisa de você.
Guerra aos erros e maus hábitos: a vida é batalha onde a inteligência e a boa vontade podem triunfar.
Habitue-se a prestar atenção às aulas.
Insista no que vale a pena.
Julgue, analise, antes de falar e concluir.
Lembre-se: é você que deve aprender a resolver seus problemas.
Método nos seus trabalhos. A bagunça é inimiga da perfeição.
Não estude só para a escola, mas para a vida.
Ouça antes a opinião dos outros, sem interromper, e depois dê a sua.
Procure entender e assimilar mais do que decorar.
Querer é poder. Quem se esforça consegue.
Renove seu entusiasmo, suas energias, pensando no seu ideal.
Sabedoria é dom de Deus, e ele a concede a quem procura.
Tenha paciência e perseverança. Muitas coisas se resolvem com o tempo.
Uma andorinha só não faz verão: você precisa dos outros, os outros de você.
Vale mais conhecer nossas fraquezas e pedir auxílio aos mestres e colegas do que persistir no erro.
X.Y. A vida é uma incógnita que você deve ir descobrindo e resolvendo dia-a-dia. Zele pela realização do seu ideal: isso é a sua felicidade.
(Autor: Desconhecido)

Informações sobre o dia do aluno

Origem:

No dia 11 de agosto de 1827, D. Pedro I instituiu no Brasil os dois primeiros cursos de ciências jurídicas e sociais do país: um em São Paulo e o outro em Olinda, este último mais tarde transferido para Recife. Até então, todos os interessados em entender melhor o universo das leis tinham de ir a Coimbra, em Portugal, que abrigava a faculdade mais próxima.
Na capital paulista, o curso acabou sendo acolhido pelo Convento São Francisco, um edifício de taipa construído por volta do século XVII. As primeiras turmas formadas continham apenas 40 alunos. De lá para cá, nove Presidentes da República e outros inúmeros escritores, poetas e artistas já passaram pela escola do Largo São Francisco, incorporada à USP em 1934.

Cem anos após sua criação dos cursos de direito, Celso Gand Ley propôs que a data fosse escolhida para homenagear todos os estudantes. Foi assim que nasceu o Dia do Estudante, em 1927.

Postado por Israel Araújo   http://israelaraujocuite.blogspot.com/

Arquivo do blog