19 de julho de 2011

SES capacita técnicos para ações de saúde masculina nas cidades




A Secretaria de Saúde do Estado está capacitando técnicos das 12 Gerências Regionais de Saúde para reforçar as ações de atenção integral à saúde do homem. Esses técnicos darão apoio aos municípios nas ações de orientação e prevenção à saúde do homem.
De acordo com a gerente de Atenção Primária, Patrícia Assunção, os profissionais de saúde lotados nas 12 gerências regionais estão sendo orientados à disseminação do autocuidado. A ideia é alertar ao homem sobre a necessidade de ele se preocupar e cuidado da própria saúde.
As orientações também são feitas no sentido da facilitação e ampliação do acesso da população masculina aos serviços de saúde, o que vai contribuir para a redução das causas  de morbidade e mortalidade.
“Temos que incentivar o homem a mudar o seu comportamento, eliminar essa cultura machista da ‘invulnerabilidade masculina’, que reproduz a falsa ideia de que o homem não adoece, que não chora e que não sente dor”, destaca Patrícia Assunção.
Essa cultura é o que provoca a maior incidência de morte entre homens na Paraíba e no país, que segundo o Ministério da Saúde estão relacionadas a causas externas, a exemplo de acidentes automobilísticos e assassinatos.
Álcool e violência – Na avaliação de Patrícia Assunção, o homem quando ingere bebida alcoólica muda de comportamento ficando ainda mais agressivo e, ao volante, se acha invencível principalmente quando está dirigindo um carro grande e potente. Por isso os acidentes de trânsito acontecem.
Essa agressividade, segundo a gerente de Atenção Primária da SES, não acontece  só na rua, mas está presente também em casa com a mulher e os filhos e daí surgem os casos de violência doméstica.
Com relação às causas internas percebe-se que a população masculina resiste em procurar o serviço médico, por se sentir impossibilitado de ausentar-se do trabalho. “O homem precisa se cuidar. É notória a pequena quantidade de homens nos postos de saúde, quando comparado ao contingente feminino. Por isso é importante chamar a atenção de todos, principalmente do público masculino, para a importância do cuidado com a sua saúde”.
Mortalidade masculina – Dados do Ministério da Saúde revelam que a cada três pessoas que morrem no Brasil, duas são homens. E a cada cinco que vão a óbito na faixa etária de 20 a 30 anos, quatro são do sexo masculino.
De acordo com a publicação Saúde Brasil 2007, do Ministério da Saúde, estão entre os homens quase 60% das mortes no país. Das 1.003.350 mortes ocorridas em 2005, 582.311 foram homens, ou seja, 57,8%.

Arquivo do blog