28 de julho de 2011

Hepatites Virais "Cuité está atento"




De 26 a 30 de julho é realizada em todo o mundo a campanha de vacinação contra hepatite. O movimento que é feito desde 2001 visa imunizar a população de 0 a 24 anos. Em São Roque a campanha acontece em todos os postos de saúde e as vacinas são aplicadas das 8h às 16h.

De acordo com a chefe do Serviço de Vigilância Epidemiológica, Margareth Andreoli, a campanha é mais uma continuidade dos trabalhos que vem sendo feitos desde o começo do ano. “Muitos municípios não conseguiam aplicar as três doses necessárias contra hepatite, por isso essa campanha mundial. É muito mais barato para o país imunizar a todos do que pagar o tratamento”, afirma. Porém a chefe da VE acredita que todas as cidades já estão dando conta de completar as três fases da vacinação. “No ano passado deviam ser vacinadas pessoas com até 19 anos, esse ano a faixa etária subiu e para o ano que vem essa idade irá aumentar para 28 ou 29 anos. Isso mostra que o país já está avançado na defesa contra a doença”, comemora.

A campanha acaba no dia 30, porém os postos de saúde continuarão a aplicar a vacina por todo o ano.


Tipos de hepatite

Hepatites Virais são processos infecciosos (causados por vírus) e que podem comprometer em graus variáveis a capacidade de funcionamento do fígado. O fígado é um órgão extremamente importante para a nossa saúde. Denomina-se órgão vital por ser imprescindível para a manutenção da vida. São conhecidos na atualidade cinco tipos de hepatites virais, assim classificadas como tipos A, B, C, D e E. As mais freqüentes em nossa população são as hepatites virais do tipo A e B, embora a hepatite do tipo C já tenha alcançado cifras significativas trazendo preocupação por suas conseqüências.

Hepatite A
É a hepatite mais comum entre nós, a que ocorre mais freqüentemente em crianças e é a de evolução mais benigna, ou seja, quando o paciente se cura, deixa o menor índice de conseqüências no fígado. O indivíduo se contamina com esse tipo de hepatite através da água, sangue, secreções humanas e em concentrações de público (balneários, praias). Também pode ser transmitida pela via sexual e sangüínea. A infecção na maioria das vezes tem caráter benigno, evoluindo para cura em um ou dois meses; os casos que podem levar a morte são raros e não existe ocorrência de doença crônica.

Hepatite B
É uma hepatite que do ponto de vista clínico é bem tolerada, assim como a hepatite A, mas pode acarretar conseqüências para o organismo (artrite, erupções cutâneas, glomerulonefrite, periarterite nodosa) e para o fígado e outros órgãos anexos (hepatite crônica, cirrose, hipertensão do sistema venoso portal, hiperesplenismo, deficiência da coagulação sangüínea, etc). O indivíduo se contamina por tatuagens; relações sexuais com indivíduos portadores do vírus; em atividades de alto risco (médicos, dentistas, paramédicos, pessoas que se submetem a diálises, doentes que necessitam de transfusões sangüíneas freqüentes, pessoas em contato com material médico hospitalar usado, entre outras).

Hepatite C e E
Já teve vários nomes, mas atualmente é conhecida como Hepatite C. É uma hepatite transmitida por via sangüínea, não havendo evidências seguras de sua transmissão salivar ou pelo sêmen. Já a Hepatite E é de transmissão intestinal e geralmente é epidêmica, principalmente em países de baixa cultura e higiene. Sua mortalidade se associa mais às mulheres.

Outros Tipos de Hepatite
Trata-se da hepatite com CMV ou Hepatite por Citomegalovírus. Os indivíduos se contaminam em contato com alagados ou com pessoas contaminadas. Hepatite por mononucleose é geralmente congênita, mas também pode ser transmitida pelo sangue e, nesse caso, seu período de incubação dura em média doze semanas. Evolui de modo benigno e é autolimitada.

Como Evitar a Hepatite
A prevenção das Hepatites está baseada em: evitar locais de risco, evitar atitudes e procedimentos de risco, cuidados higiênicos–dietéticos, cuidados sexuais e vacinação. Como medidas profiláticas temos algumas vacinas, que de modo geral não possuem contra indicações e sim épocas adequadas para aplicação. As vacinas existentes no mercado possuem poucos efeitos colaterais de importância e os pacientes devem se vacinar só com aconselhamento médico.


Fonte: SMS Cuité / IEC Cuité

Arquivo do blog